Sindicalista fica mais de 80 horas amarrado a portão de estaleiro no RS

30/06/2015No Comments

Foto: G1 RS (Reprodução)

Foto: G1 RS (Reprodução)

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Rio Grande, Benito Gonçalves, se amarou a grades em frente a um dos estaleiros do Polo Naval da cidade do Sul do Rio Grande do Sul. Ele protesta devido ao impasse que já causa um atraso de um ano e 10 meses no início das obras das plataformas P-75 e P-77, como mostra reportagem do RBS Notícias (confira no vídeo).

Gonçalves já está há mais de 80 horas preso a um portão do estaleiro. Ele pede o fim do impasse envolvendo a estatal e o consórcio formado por Queiroz Galvão e Iesa Óleo e Gás para a construção das plataformas. O Polo Naval de Rio Grande enfrenta problemas depois das denúncias de irregularidades na Petrobrás.

“A ideia de se amarrar foi para mostrar que estamos amarrados e presos. Quem roubou está solto e nos estamos presos”, desabafou o sindicalista.

Em setembro de 2013, a Petrobras e o estaleiro firmaram um contrato no valor de US$ 1,6 bilhão, mas o estaleiro pede mais US$ 160 milhões alegando mudanças feitas pela Petrobras no projeto inicial. A estatal, no entanto, concorda em elevar o montante em até US$ 21 milhões.

Cinco navios com peças para os projetos já foram descarregados no porto, mas as reuniões para resolver o contrato estão paradas. Há o risco das plataformas serem repassadas para estaleiros na China. A obra tem potencial para gerar cerca de 5 mil empregos. Fonte: G1 RS

email

Leia Também:

  1. Petrobras rescinde contrato milionário com estaleiro Iesa
  2. Praticagem manobra 34 navios em 12 horas e alivia prejuízos no porto, fechado por mais de 30 horas
  3. Dilma visita obras da P-58 em estaleiro no Rio Grande (RS)
  4. ‘Broncas” da EBX beneficiam estaleiro de Pernambuco
  5. Bancada baiana se une em busca de solução para obras de estaleiro

Deixe uma resposta


9 + 7 =