Lideranças buscam apoio de Alckmin para viabilizar expansão da Ferronorte para o Nortão

18/03/2017No Comments

ferroviaOs governadores Geraldo Alckmin e Pedro Taques e o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Nilson Leitão (PSDB) se reuniram, hoje, no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, com o presidente da Rumo-ALL, Juli Fontana, para tratar da expansão da ferrovia Ferronorte de Rondonópolis a Cuiabá e até Sinop. Uma das principais exigências da companhia para tirar do papel a expansão da Ferronorte é garantir um tempo maior para operar na malha em São Paulo, para onde transporta grãos e diversos outros produtos de Mato Grosso. As concessões para operar na malha paulista vencem em 2028 e a empresa requereu para a Agência Nacional de Transporte Terrestre que esse prazo seja ampliado por mais 30 anos. “Com isso, a empresa tem viabilidade para expandir a Ferronorte até o Nortão e é impresncindível a liderança do governador Alckmin nesse processo que está ligado diretamente a Mato Grosso. Por isso viemos em busca de seu apoio”, explicou, ao Só Notícias, o deputado Nilson Leitão.

“Ampliar o prazo de concessão é o primeiro passo para o planejamento da Ferronorte até o Nortão sair do papel. Em Mato Grosso a empresa tem concessão da malha até o ano de 2076. Este pedido referente a ampliação de tempo na malha em São Paulo está na ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestes) e o governador Alckmin sinalizou apoio porque São Paulo tem interesse na expansão da ferrovia considerando que é grande o volume de produtos que saem de Mato Grosso e vão para o porto de Santos. Ele é favorável a ampliação do prazo de concessão e é provável que a agência de transportes federal tome uma decisão a curto prazo. O assunto é de interesse dos dois Estados. Mato Grosso importa muitos produtos de São Paulo e também encaminha muito para lá”, acrescentou o presidente da FPA.

No governo Fernando Henrique foram feitos cerca de 700 km ferrovia de São Paulo até Alto Taquari e no governo Lula foram construídos 200 km chegando até Rondonópolis. O próximo passo é ir a Cuiabá e, depois, ao Nortão – aproximadamente mil km.

“A ideia é ainda no primeiro semestre apresentar o projeto da Ferronorte até o Nortão. Já tem projeto inicial pronto porque a concessão já é deles (Rumo-ALL) e lógico que pode ter ajustes e adequações (no projeto). A ferrovia vai margeando a BR-163, deve ter terminal a cerca de 50 km de Cuiabá, e depois vai até Sinop. No Nortão será decidido em qual município o terminal de cargas será construído. É uma grande luta, a longo prazo mas está sendo priorizada porque é um modal importantíssimo. Mato Grosso destina 35 milhões de toneladas para o porto de Santos (SP). E é preciso registrar também que para Mato Grosso é fundamental a Ferrogrão (ferrovia que deve sair de Sinop e ir até Miritituba-PA e será construída por empresas do agronegócio)”, concluiu o presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio. Leia matéria original em Sonoticias

email

Leia Também:

  1. ANTT autoriza UFSC a elaborar estudos para implantação da Ferronorte
  2. Ferronorte chega a Rondonópolis
  3. Operadoras vão investir R$ 4,4 bi para expansão do transporte em Santos
  4. Setor portuário e lideranças lutam para que Ferrovia do Frango passe por Itajaí
  5. MPF cobra concessionária da ferrovia sobre engarrafamento em terminal

Deixe uma resposta


− 3 = 3