Guiana e França buscam cooperação para investir em logística no Pará

04/06/2015No Comments

Operacionalizar um projeto logístico de desenvolvimento econômico regional nos setores de óleo e gás no Brasil, Guiana e Suriname com o apoio do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa) e outros parceiros públicos e privados é o desafio de representantes das áreas de energia, ambiental, mineração e de prospecção comercial da Embaixada da França no Brasil e do Gran Port Maritime de La Guyane (GPM), que se reuniram, na tarde da última terça-feira (03/06), com o presidente em exercício do Sistema Fiepa, Gualter Leitão; com assessoria econômica e os gestores do SESI Pará, SENAI Pará, da Iniciativa Redes e do Centro Internacional de Negócios – CIN/Pará, do Sistema Fiepa.

Divulgação Fiepa

Divulgação Fiepa

Um estudo de viabilidade do projeto da GPM, que deverá ser concluído em setembro deste ano, sinaliza que haverá uma massificação do transporte marítimo na região norte do Brasil em completa sinergia com os projetos de desenvolvimento do Estado do Pará. A parceria deverá acontecer entre Brasil, Suriname e Guiana Francesa, para diminuir o tempo e os custos de transporte para a Europa. O projeto prevê ainda a construção de uma plataforma marítima.

Durante o encontro, foram apresentadas as oportunidades de cooperação técnica que o Sistema Fiepa poderá contribuir para viabilizar a iniciativa que propõe uma ampla estrutura logística transfronteiriça na região identificada como Planalto das Guianas, que envolve a Bacia da Foz do Rio Amazonas – no Brasil; Guiana, Guiana Francesa e Suriname. “Vamos verificar as necessidades de suporte do projeto. Podemos indicar os fornecedores locais da indústria paraense, que poderão atender as demandas de serviços e os cursos do SENAI que têm capacidade para qualificar profissionais para operacionalizar as obras. Também temos estaleiros e a parceria com a Faculdade de Engenharia Naval da Universidade Federal do Pará (UFPA), que poderão ser envolvidos no desenvolvimento do projeto”, sinalizou Gualter Leitão.

As potencialidades logísticas e econômicas do Pará foram destacadas como diferenciais para incluir a região no projeto Planalto das Guianas. “Consideramos esta iniciativa bastante viável e com grande potencial econômico. Por isso, optamos pelo estado do Pará”, destacou Hamza Belgourari, diretor do Departamento de Energia, Setor Ambiental e Mineração da Embaixada da França no Brasil, que conduziu a comitiva junto a Rémy-Louis Budoc, Vania Bonneton e Dominique Thegat, da Grand Port Maritime Guyane (GPM), porto estadual da Guiana Francesa, que pretende dinamizar a utilização dos portos situados no Pará e em Caiena, vislumbrando a futura ampliação da capacidade do Canal do Panamá.

O projeto apresentado pelos representantes da Embaixada da França no Brasil e do Gran Port Maritime de La Guyane está alinhado ao Programa Norte Competitivo, estudo conduzido em 2008 pelo Sistema Fiepa, que propõe uma estrutura de logística intermodal para a região Norte, envolvendo ferrovias, hidrovias e portos e que já foi apresentado anteriormente ao Governo Federal, mas ainda aguarda retorno sobre a possibilidade de parceria e fontes de financiamento para viabilizá-lo. “Observamos que o projeto Planalto das Guianas soma-se ao Norte Competitivo e, se apresentados conjuntamente, podem ganhar mais força e parcerias efetivas para viabilizá-los”, comentou o presidente em exercício do Sistema Fiepa. Fonte: Fiepa

email

Leia Também:

  1. Guiana e França humilham Brasil em ponte na fronteira
  2. Brasil e França vão assinar protocolo de cooperação agrícola
  3. Varejistas buscam portos da Inglaterra para evitar congestionamento
  4. Operadoras vão investir R$ 4,4 bi para expansão do transporte em Santos
  5. Seicom faz seminário para discutir a logística na região amazônica

Deixe uma resposta


− 6 = 0