Canal do Panamá tem elevadores à prova d’água e descem a 50 m abaixo do nível do mar

30/07/2016No Comments

A expertise da thyssenkrupp contribui para o projeto de expansão do Canal do Panamá, uma das maiores obras de engenharia no século 21

A ampliação de um dos maiores projetos de engenharia do mundo foi finalizada recentemente na América Central: o Canal do Panamá é uma rota estratégica para a navegação global, conectando os oceanos Atlântico e Pacífico. Aberto pela primeira vez há pouco mais de 100 anos e redesenhado para expandir sua capacidade, o canal tornou-se mais profundo e mais largo para permitir a passagem de navios três vezes maiores do que antes, os chamados New Panamax.

Canal do Panamá | Divulgação

Canal do Panamá | Divulgação

A thyssenkrupp forneceu 14 elevadores inovadores para este projeto, sete para cada novo complexo de bloqueio: um no lado do Atlântico e outro no Pacífico. O tráfego através dos bloqueios será monitorado a partir de duas torres de controle que podem ser acessadas por meio de dois elevadores. Os outros elevadores foram instalados em vários pontos ao longo das fechaduras. “Os elevadores descem a uma profundidade de cerca de 50 metros e estão conectados por túneis conhecido como “crossunders”, que funcionam sob as câmaras de bloqueio, que possuem milhões de litros de água”, diz Peter Bjorn, Vice-presidente de Obras Novas e Modernização da área de negócios Elevator Technology da thyssenkrupp para a América Latina.

A thyssenkrupp auxilia grandes projetos de infraestrutura em todo o mundo com soluções inteligentes que atendem aos requisitos de urbanização. “Queremos enfrentar os desafios de mobilidade em ambientes complexos junto com os nossos clientes”, diz Andreas Schierenbeck, CEO da thyssenkrupp Elevator. “É essencial para reduzir o consumo de energia e de recursos ambientais encontrarmos novas soluções e criar meios para o transporte global que economizem tempo e recursos”.

O plano de expansão do canal compreendeu a criação de um novo conjunto de eclusas paralelamente às já existentes, que podem ser operadas ao mesmo tempo. A construção de dois novos complexos de bloqueio do Atlântico e do Pacífico, cada um com aproximadamente 1.200 metros de comprimento, foi essencial para o sucesso do projeto.

A complexidade do projeto exigiu das equipes da thyssenkrupp um alto nível de detalhamento técnico. Por exemplo, todos os componentes do elevador são à prova de explosão para garantir a máxima disponibilidade, mesmo sob as mais rigorosas condições climáticas. No Panamá, a construção do canal é a primeira a ser equipada com esse recurso de segurança.

A ampliação de um dos maiores projetos de engenharia do mundo foi finalizada recentemente na América Central: o Canal do Panamá é uma rota estratégica para a navegação global, conectando os oceanos Atlântico e Pacífico. Aberto pela primeira vez há pouco mais de 100 anos e redesenhado para expandir sua capacidade, o canal tornou-se mais profundo e mais largo para permitir a passagem de navios três vezes maiores do que antes, os chamados New Panamax.

A thyssenkrupp forneceu 14 elevadores inovadores para este projeto, sete para cada novo complexo de bloqueio: um no lado do Atlântico e outro no Pacífico. O tráfego através dos bloqueios será monitorado a partir de duas torres de controle que podem ser acessadas por meio de dois elevadores. Os outros elevadores foram instalados em vários pontos ao longo das fechaduras. “Os elevadores descem a uma profundidade de cerca de 50 metros e estão conectados por túneis conhecido como “crossunders”, que funcionam sob as câmaras de bloqueio, que possuem milhões de litros de água”, diz Peter Bjorn, Vice-presidente de Obras Novas e Modernização da área de negócios Elevator Technology da thyssenkrupp para a América Latina.

A thyssenkrupp auxilia grandes projetos de infraestrutura em todo o mundo com soluções inteligentes que atendem aos requisitos de urbanização. “Queremos enfrentar os desafios de mobilidade em ambientes complexos junto com os nossos clientes”, diz Andreas Schierenbeck, CEO da thyssenkrupp Elevator. “É essencial para reduzir o consumo de energia e de recursos ambientais encontrarmos novas soluções e criar meios para o transporte global que economizem tempo e recursos”.

O plano de expansão do canal compreendeu a criação de um novo conjunto de eclusas paralelamente às já existentes, que podem ser operadas ao mesmo tempo. A construção de dois novos complexos de bloqueio do Atlântico e do Pacífico, cada um com aproximadamente 1.200 metros de comprimento, foi essencial para o sucesso do projeto.

A complexidade do projeto exigiu das equipes da thyssenkrupp um alto nível de detalhamento técnico. Por exemplo, todos os componentes do elevador são à prova de explosão para garantir a máxima disponibilidade, mesmo sob as mais rigorosas condições climáticas. No Panamá, a construção do canal é a primeira a ser equipada com esse recurso de segurança.

email

Leia Também:

  1. Empresários de SC conhecem o Canal do Panamá
  2. Panama Canal Authority Rejects US$1 Billion Payout
  3. Zurich rejeita “plano B” do Panamá para as obras do canal
  4. Nicaragua Approves Trans-Oceanic Canal
  5. Porto de Cabedelo participa de feira no Panamá

Deixe uma resposta


4 − 1 =