Plano diretor de Mato Grosso define áreas para ampliar logística

12/01/2016No Comments

As ações que precisam ser desenvolvidas nos próximos anos para solucionar os gargalos logísticos do Estado foram apresentadas nesta terça-feira (12.01) ao governador Pedro Taques. O secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo Duarte, apresentou o estudo feito pela Sinfra sobre as ações que precisam ser executadas nos próximos anos para fazer as ligações asfálticas entre municípios e dar mais competitividade aos produtos de Mato Grosso no mercado internacional.

Conforme Marcelo Duarte, foi feito um amplo levantamento da malha viária de Mato Grosso, com detalhes para que a Sinfra tivesse um diagnóstico preciso e pudesse planejar as ações. “O plano diretor vai dar o norte de onde temos que investir. Vai apresentar onde cada real será melhor utilizado”, contou.

O secretário destaca que a questão social foi um dos pontos importantes na elaboração do plano. “Estamos pensando nas pessoas, principalmente aquelas que moram em cidades ainda não atendidas por ligação asfáltica. Hoje temos 40 cidades sem essa ligação, 20 nós conseguiremos atender com a atual versão do Pró-Estradas. Mas precisamos de uma nova versão do programa para atingir outras 20 localidades sem ligação asfáltica”, afirmou.

Foto: Mayke Toscano/GCom-MT

Foto: Mayke Toscano/GCom-MT

Além disso, para dar competitividade aos produtos de Mato Grosso, a pasta também fez um mapeamento atual das áreas de produção e buscou as projeções futuras de crescimento da agropecuário. A ideia, segundo Marcelo, é de melhorar a logística, dando melhores condições às rodovias e pontes. “Melhorando para quem deseja produzir em Mato Grosso e quem gera empregos no nosso estado”, comentou.

Irregularidades 

O secretário apontou que diversas inconsistências foram encontradas durante os estudos para elaboração do plano diretor. Ele cita que, até mesmo, pontes haviam sido licitadas pela Sinfra (antes de 2015) em lugares que não tinham rios. “Descobrimos também pontes que não haviam necessidade e poderiam facilmente serem substituídas por bueiros celulares, solução muito mais barata e simples para a transposição de um obstáculo”, disse.

O estudo também constatou que a malha oficial do Estado é menor do que se imaginava, porque parte das rodovias tidas como estaduais ainda não foram repassadas oficialmente ao Governo do Estado, ou seja, ainda dependem de lei para a estadualização.

Acompanhamento

A partir deste ano, o Governo do Estado passa a contar com mais uma ferramenta para atuar na melhoria da malha rodoviária de Mato Grosso. Um software adquirido pela Secretaria de Infraestrutura e Logística permitirá um acompanhamento online de todos os dados da logística Estadual.

Com o plano diretor e o programa adquirido pela Sinfra, o cidadão poderá acompanhar, pela da internet em tempo real, as ações que serão desenvolvidas e o trabalho que já vem sendo feito pela pasta. A ideia, segundo Taques, é de disponibilizar uma versão aberta do programa por meio do Observatório de Gestão. As imagens são em alta resolução e mostram informações detalhadas de cada obra. É possível até mesmo medir distâncias com a ferramenta interativa.

A novidade foi aprovada pelo governador que determinou máximo empenho para que as informações sejam disponibilizadas o quanto antes para a população. Fonte: Governo de Mato Grosso

email

Leia Também:

  1. Mato Grosso do Sul precisa ampliar duas ferrovias e seis rodovias para evitar colapso
  2. Milho: Com logística favorável, Mato Grosso do Sul vai ganhando mercados
  3. Projeto da ferrovia Mato Grosso-Pará será apresentado em Brasília
  4. Cidades de Mato Grosso perdem por falta de logística
  5. Logística ruim trava venda de soja em Mato Grosso

Deixe uma resposta


1 + = 9